MPLA com Savimbi no coração – Jorge Eurico

Avatar By Redacao Jul 11, 2024
Corruptos bons; corruptos maus! - Jorge Eurico

O processo de “savimbização” do MPLA decorre de forma fulgurante. Primeiro, deu-se o aval para criação da Fundação Jonas Savimbi e se atribuísse o estatuto de instituição de Utilidade Pública. Isaias Samakuva anunciou para breve a atribuição do nome de Jonas Savimbi a uma rua de Luanda. Samakuva deverá – como todos nós – ter muitos defeitos. Mas não consta que seja “dodói da cabeça”. Sabe do que fala. Diz que uma rua de Luanda vai ser batizada com o nome do seu antigo líder. Se o disse, é porque teve garantias da direcção do MPLA.

Dezassete de Setembro foi a data de nascimento de Antônio Agostinho Neto, fundador da República de Angola. É o nome da avenida que dá acesso ao Palácio Presidencial. Se me é permitido, sugiro que se mude o nome desta avenida para Jonas Malheiro Savimbi. E, já agora, que tal por Agostinho Neto a partilhar o mesmo espaço com Jonas Savimbi no Mausoléu? Nada mais certo para alegrar o coração dos apóstolos do savimbismo e seus herdeiros. Nada melhor para deixar Jonas Savimbi a humilhar José Eduardo dos Santos lá no além, dizendo: “vês como a organização que criei está a dar à volta ao MPLA? Vês como a minha luta está a triunfar?” Tem razão! O triunfo da UNITA em Luanda só está a ser possível com a colaboração e assentimento da direcção do MPLA.

O MPLA está a ser mal aconselhado. Consta que conselheiros brasileiro terão sugerido à direcção do MPLA a fazer tudo para agradar a UNITA, objectivando acabar com a ideia de que o MPLA perdeu Luanda para UNITA. O partido no poder tem meios e maturidade política para perceber que a UNITA só ganhou as eleições de 2022 em Luanda por causa dos votos reversos de militantes descontentes do MPLA. Os votos nulos em sinal de descontentamente face à governação do MPLA contribuíram para a derrota do partido no poder.

A “savimbização” do MPLA vai sair caro. Quem está no MPLA por ideologia em 2027 vai, por esta razão, manifestar-se contra a “savimbização” do partido em que milita. Vai abster-se. Vai votar em branco. Vai votar, mais uma vez, na UNITA em forma de protesto. Tenho para mim que não seja verdade que o MPLA tenha perdido Luanda para UNITA. O meu juízo é: os militantes descontentes do MPLA votaram na UNITA ou abstiveram-se. Os cidadãos desempregados votaram na UNITA. As condições sociais econômicas degradantes que o País atravessa e a governação inapta levaram os simpatizantes e amigos do MPLA a redicionarem o seu voto para a UNITA. Apenas isto. Esta é a verdade. A minha verdade.

Atribuir fundos públicos à Fundação Jonas Savimbi e batizar uma rua de Luanda com o nome do líder guerrilheiro, representa o endeusamento de um homem que o MPLA passou quase meio século a hostilizar e a diabolizar. Hoje o MPLA deu uma volta de trezentos e sessenta graus. Hoje o MPLA tirou Angola do coração e no seu lugar colocou Jonas Savimbi. Hoje o MPLA glorifica Jonas Savimbi com hosanas nas alturas. Não tarda vão pedir uma Missa de Acção de Graças ao Cónego Apolônio Graciano para canonizar Jonas Savimbi.

O nome de José Eduardo dos Santos, hoje, pronuncia-se de forma baixinha. E quando se pronuncia. Representa uma blasfêmia. Jonas Savimbi falava muito da “revisão da História”. A direcção do MPLA está a materializar escrupulosamente a ideia de Jonas Savimbi, ao minimizar ou tentar fazer-nos esquecer os “feitos” de Jonas Savimbi.

A actual direcção do MPLA está a reescrever a história de Jonas Savimbi. Está a distorcer a realidade histórica. Está a criar uma ideia “idílica” de Jonas Savimbi. Está a santifica-lo. Está a branquear os seus actos. Tal não corresponde à verdade sobre a pessoa em questão. Isso está a deixar enfurecido os verdadeiros militantes do MPLA. Para os militantes de ocasião, dá no mesmo. Somam e seguem indiferentes. Mas, nesta toada e com a estratégia de João Lourenço agradar a UNITA, em 2027 o MPLA corre o risco de averbar mais uma acachapante derrota em Luanda.

Por Jorge Eurico