Banco paga 22 mil libras para receber prêmio em Londres

Avatar By Redacao Mai 30, 2024
Banco de Desenvolvimento de Angola

O Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) pagou 22 mil libras (cerca de 28 mil dólares) para ser eleito o “Melhor Banco de Desenvolvimento do Continente Africano” pela revista “International Banker”. A premiação, que faz parte dos “Prêmios Bancários 2024” da publicação, gerou polêmica e levantou suspeitas de compra de prêmios, questionando a lisura e os critérios utilizados na seleção.

O pagamento foi efetuado no dia 24 de abril pela presidente da Comissão Executiva do BDA, Patrícia Vaz D’Almeida Cunha, ao britânico Adam Fox, representante da “International Banker”. Segundo fontes, ouvidas pelo Club-K, este tipo de premiação é comum no setor financeiro e visa aumentar o prestígio das instituições.

Em troca do pagamento de 22 mil libras, o BDA recebeu o título de “Melhor Banco de Desenvolvimento África 2024”, além de um pacote de divulgação que inclui cobertura da mídia, um vídeo institucional de 20 minutos filmado na Bolsa de Valores de Londres, um editorial de quatro páginas na revista “International Banker” e o direito de usar o logotipo do prêmio nos seus materiais promocionais.

Essa é a primeira vez que o Banco de Desenvolvimento de Angola recorre a esse tipo de expediente. Em janeiro de 2008, a revista “The Banker” concedeu o prêmio de melhor ministro das finanças ao angolano José Pedro de Morais, que na época servia no governo de José Eduardo dos Santos. Naquele período, semanários angolanos denunciaram que houve compra do prêmio “Bank of the Year”, considerado o “Oscar” da indústria bancária.

A revista britânica justificou a premiação afirmando que José Pedro de Morais, como Ministro das Finanças de Angola, teve um papel significativo no renascimento econômico do país. Algumas das suas principais realizações incluíam a redução da inflação por meio de medidas como cortes nos gastos governamentais, destacando também a confiança do Presidente José Eduardo dos Santos, que permitiu a Morais liderar Angola rumo ao crescimento econômico, superando desafios e dissensões. In Club-k