Trabalhadores da Chinangol realizam protesto por melhoria salarial e condições de trabalho

Avatar By Redacao Mai 28, 2024
Trabalhadores da Chinangol realizam protesto por melhoria salarial e condições de trabalho

Na última segunda-feira, 27 de Maio, os trabalhadores da empresa Chinangol Lda., situados no escritório do Condomínio Paraíso Real, em Talatona, protagonizaram uma pequena greve reivindicando aumentos salariais e melhores condições de trabalho, soube o Imparcial Press.

A manifestação destacou a insatisfação dos funcionários, que relataram maus-tratos e desrespeito por parte dos responsáveis da empresa.

Os trabalhadores auxiliares de serviços gerais e de limpeza, que recebem apenas 100 kwanzas diários como subsídio de alimentação e 100 kwanzas diários como subsídio de transporte, lideraram o protesto.

Estes valores, conforme exposto pelos grevistas, são insuficientes para cobrir as necessidades básicas, como alimentação e deslocamento diário. “Com este dinheiro, não conseguimos nos alimentar enquanto trabalhamos, nem cobrir as despesas do táxi para ir e voltar do trabalho”, desabafou um dos trabalhadores ao Imparcial Press, que preferiu manter sua identidade em sigilo.

Tentativas de negociação com a administração da Chinangol Lda. foram infrutíferas. Segundo os relatos, a responsável administrativa, identificada apenas como Flávia, teria se recusado a dialogar com os trabalhadores, sugerindo de forma desrespeitosa e arrogante que aqueles insatisfeitos deveriam pedir demissão e “plantar batatas para se sustentar”.

O contraste entre os baixos salários pagos aos trabalhadores e o alto valor dos imóveis do Condomínio Paraíso Real, de propriedade da Chinangol, exacerba a sensação de injustiça. As casas no condomínio estão avaliadas em aproximadamente 7.500.000 USD (sete milhões e quinhentos mil dólares), enquanto os alugueis atingem 7.000.000 de kwanzas por mês.

A greve, embora breve, resultou em algumas mudanças. No final do dia, após a intervenção de parceiros da empresa, a administração acordou um aumento no subsídio de alimentação para 500 kwanzas diários. Apesar deste ajuste, muitos trabalhadores consideram as condições ainda insuficientes e permanecem preocupados com o tratamento desumano recebido.

A Chinangol Lda., uma empresa de origem chinesa, é proprietária, além do Condomínio Paraíso Real (em Talatona), da Jetour, do Paraíso Real (na Ingombota), e da Niubonga (no Lubango, Huíla), que recentemente enfrentou uma greve após a morte de um trabalhador.

Apesar do retorno às actividades normais nesta terça-feira, os trabalhadores da Chinangol Lda. continuam atentos e esperam que suas reivindicações por melhores condições de trabalho e maior respeito sejam atendidas de maneira substancial. In IP