Administrador do Kilamba esclarece as alegações sobre perda em tribunal no processo de ocupação de terreno – Segundo Aragão, desconhece

Avatar By Redacao Mar 12, 2024

Recentemente, têm surgido alegações de ocupação ilegal de terrenos na Centralidade do Kilamba, atribuídas à administração liderada por Aragão, como noticiado por alguns portais de notícias.

Em resposta a essas alegações, na nota à qual o Hold On Angola teve acesso, Hélio Aragão esclarece a situação. No documento, diz que a Administração do Distrito Urbano do Kilamba recebeu um ofício referente a um pedido de participação, tendo agido conforme a decisão judicial ao acompanhar oficiais de justiça até o local indicado para identificar o terreno em questão, que abrange uma área considerável de 575 hectares.

O Administrador salienta ainda que a acção judicial menciona tanto actuais quanto antigos gestores do Distrito e do Município de Belas, mas argumenta que a responsabilidade deveria recair sobre a Administração, uma vez que se trata de uma área de reserva estatal destinada à expansão de projectos habitacionais e outras edificações do Estado ainda em curso.

Durante a execução da decisão judicial, oficiais de justiça, sob a liderança do Escrivão de Direito Neyd Lopes, procederam à entrega dos 575 hectares a uma pessoa identificada como “Pique”, que posteriormente foi autorizada a tomar posse do terreno, resultando na demolição das construções existentes.

Por outro lado, Hélio Aragão manifestou desagrado face às acusações e campanhas difamatórias dirigidas contra si, desde alegações de suborno até a disseminação de fake news, que comprometem a sua integridade enquanto Administrador do Distrito. Ressalta ainda a importância de verificar a veracidade dos factos antes de divulgar informações e apela à comunidade e à sociedade civil para evitarem a disseminação de conteúdos duvidosos.

Por fim, o administrador reitera o seu compromisso em promover o bem-estar dos habitantes do Kilamba e assegura continuar empenhado em transformar o Distrito num local propício para viver, trabalhar e investir, apesar dos desafios enfrentados.