Promessas vazias e desilusão: O Tango da corrupção na Pátria esquecida

Avatar By Redacao Mar 5, 2024
Promessas vazias e desilusão O Tango da corrupção na Pátria esquecida

Num país onde as promessas políticas são como as nuvens, sempre em movimento e nunca se sabe quando vão desaparecer, o cenário é pintado com as cores do desencanto e da desilusão (vermelho, amarela e preto). Onde a corrupção se entranha nas entranhas da nação, como um câncer voraz que consome os sonhos e as esperanças do povo.

As palavras ecoam como sinos de uma igreja abandonada, tocadas por mãos sujas de ganância e poder. “A pátria vai recompensar os seus filhos”, proclamam os discursos vazios dos que se auto-intitulam guardiões da nação, enquanto enchem os bolsos com os frutos do desespero alheio.

Mas, oh ironia! A pátria não recompensa os seus verdadeiros filhos, aqueles que não se vendem nem se rendem à tentação do suborno e da traição. Os heróis anônimos que lutam todos os dias para sobreviver num sistema que os sufoca e os esmaga.

O MPLA, como uma serpente que engoliu o próprio rabo, deveria fazer um pedido de desculpas público por ser o maior causador do sofrimento do povo angolano. Mas em vez disso, preferem dançar ao som das notas sujas que lhes garantem luxos e privilégios, enquanto o povo agoniza nas sombras da sua ganância.

Deus há de julgar os que maltratam o seu povo, dizem os crentes, enquanto as lágrimas dos oprimidos regam a terra árida da injustiça. Mas até lá, os opressores riem-se nos seus palácios dourados, bebendo o vinho da impunidade e banquetendo-se com os frutos do sofrimento alheio.

Num país onde a justiça é cega, mas os juízes têm os olhos bem abertos para os subornos, a esperança é como uma chama frágil que luta para não se extinguir. Mas enquanto houver quem ouse lutar, quem se recuse a ser apenas mais um peão neste jogo de poder e corrupção, haverá sempre uma luz no fim do túnel, por mais distante que possa parecer.

Por: Poeta Ukwanana Activista/ Defensor dos Direitos Humanos.

Crônicas soltas del poetas Ukwanana
O porta-voz de quem não tem voz.
Direitos Autorais Reservado.