Tiago Soares aponta crise crónica no sistema financeiro angolano

Avatar By Redacao Fev 13, 2024
Tiago Soares aponta crise crónica no sistema financeiro angolanoActual nunca funcionou perfeitamenteTiago Soares aponta crise crónica no sistema financeiro angolano

O Banco Nacional de Angola (BNA) anunciou uma medida significativa para aliviar a pressão sobre a escassez de divisas no país. Segundo a instituição, o Tesouro Nacional disponibilizará aos bancos comerciais um total de 300 milhões de dólares (278 milhões de euros) na próxima quarta-feira. Além disso, os bancos terão a opção de recorrer à Facilidade de Cedência de Liquidez, com uma maturidade de sete dias, desde que tenham operações de mercado aberto junto ao BNA a vencer dentro desse período.

Entretanto, a análise do político Tiago Soares aponta para uma crise crónica no sistema financeiro angolano, especialmente no que diz respeito à falta de divisas. Para Soares, a raiz do problema reside nas despesas primárias, sujeitas a um teto, e nas desonerações fiscais concedidas pelo BNA, que não têm sido contrabalançadas de forma eficaz pela economia. “O Banco Nacional é um banco público e deve ser fiscalizado, ter o controle social, transparência e prestação de contas” disse.

“O fim da crise das divisas não é apenas a injecção de mais moedas estrangeiras, mas também deveria ser a origem da moeda estrangeira e a valorização do Kwanza, tornando-o numa moeda ultra competitiva em relação ao Dólar e ao Euro, como parte dos bancos comerciais e não uma intervenção directa do BNA. Também não pode haver um monopólio de alguns bancos comerciais, que depois podem causar um curto-circuito ao mercado e à própria economia, concentrando as divisas, o controle e o planeamento das divisas arrecadadas a partir do Banco Nacional”, salientou.

Soares critica o modelo actual, que, segundo ele, nunca funcionou perfeitamente e não parece oferecer soluções viáveis para a crise em questão. Defende a necessidade de uma abordagem mais equilibrada e administrativa na distribuição e aquisição de divisas, sugerindo uma liberação proporcional do Kwanza, Dólar e Euro e um modelo mais consistente para a operação dos bancos comerciais junto ao BNA.