Tchizé dos Santos reage à nomeação de Esteves Hilário como novo Secretário de Informação do BP do MPLA

Avatar By Redacao Fev 9, 2024
Tchizé sugere que o nome do partido MPLA seja UNIPLA, uma junção da UNITA com o MPLATchizé sugere que o nome do partido MPLA seja UNIPLA, uma junção da UNITA com o MPLATchizé sugere que o nome do partido MPLA seja UNIPLA, uma junção da UNITA com o MPLA

O MPLA anunciou recentemente a nomeação de Esteves Hilário como o novo Secretário de Informação do BP, substituindo Rui Falcão. Esta decisão gerou reações diversas, incluindo a expressão de indignação por parte de Tchizé dos Santos, em um áudio partilhado grupo no Whatsapp.

Tchizé dos Santos expressou sua preocupação com a nomeação de Esteves Hilário, destacando que alguns membros da família dos Santos têm enfrentado dificuldades dentro do partido. Ela apontou para o contraste entre essa situação e a nomeação de um membro da família de uma figura proeminente da UNITA para um cargo no MPLA. Além disso, Tchizé dos Santos mencionou a influência exercida pelo secretário-geral político dentro do partido.

“Os filhos de José Eduardo dos Santos, que levaram o MPLA de 30 mil militantes para 3 milhões, e que foram grandes figuras históricas do MPLA, estão sendo perseguidos. Enquanto isso, o filho de uma figura da UNITA foi indicado como secretário para a informação do MPLA e até mesmo o secretário-geral político está mandar no MPLA.” Disse

Em meio a essas discussões, Tchizé dos Santos sugeriu a possibilidade de uma mudança no nome do partido, propondo “UNIPLA” uma junção da UNITA com o MPLA como uma opção. Ela argumentou que essa mudança poderia reflectir melhor a dinâmica política actual, onde diferentes famílias políticas desempenham papéis significativos dentro do MPLA.

Acredito que mudar o nome do partido seria mais adequado. Que tal UNIPLA? Pois no MPLA, um dos filhos de José Eduardo dos Santos está a ser perseguido, enquanto um dos filhos da pessoa da UNITA estão a mandar”. Concluiu

É importante realçar que Esteves Carlos Hilário, embora tenha uma formação académica e um histórico político, possui raízes familiares na província do Uíge, sendo parte de uma família católica com ligações à UNITA. Seu pai, Pedro Hilário António, era natural do Bembe e serviu como deputado à Assembleia Nacional pela UNITA durante a primeira legislatura. Durante o período de 1992, quando o conflito pós-eleitoral se intensificou, a família retornou à sua região de origem, que estava sob controle militar da UNITA.