All American Rail Group liderará um projecto ferroviário que ligará Luanda à RDC

Avatar By Redacao Dez 11, 2023
All American Rail GroupAll American Rail GroupAll American Rail Group

O Ministério dos Transportes de Angola anunciou uma parceria significativa com a empresa norte-americana All-American Rail Group para a implementação de um ambicioso projeto ferroviário. Com um investimento estimado em cerca de 4,2 mil milhões de euros, o plano visa estabelecer uma conexão ferroviária entre Luanda e a República Democrática do Congo (RDCongo).

O acordo de entendimento foi formalizado no último domingo, marcando o início de uma etapa crucial no desenvolvimento desse projeto estratégico. A próxima fase envolve a criação de um grupo de trabalho, presidido pelo Ministro dos Transportes, Ricardo Viegas d’Abreu. Este grupo será composto por representantes da Direção Nacional para a Economia das Concessões, do Caminho de Ferro de Luanda, da Agência Nacional de Transportes Terrestres e da All-American Rail Group.

De acordo com o comunicado divulgado pelo Ministério dos Transportes, a interligação ferroviária com a RDCongo abrirá portas para a exportação de importantes recursos, como petróleo, madeira e minerais, para os países localizados ao longo do Oceano Atlântico. Além disso, o projeto tem a intenção de reforçar a segurança alimentar de Angola, oferecendo suporte à expansão agrícola das províncias do norte do país, como Uíge, Kwanza-Norte, Bengo, Malanje e Zaire. Esta iniciativa será integrada com as plataformas logísticas estratégicas nas regiões de Soyo, Malanje, Luvo e Lombe.

Mustafa Ocalir, membro do Conselho de Administração da All-American Rail Group, destacou que o memorando assinado representa o primeiro passo para apoiar o ambicioso plano de expansão da rede ferroviária angolana, especialmente no Corredor Norte. A empresa tem a visão de construir e integrar a ferrovia com plataformas logísticas e um porto, especialmente focados na região agrícola em questão.

O Plano Diretor ferroviário delineado visa a extensão dos três corredores nacionais até as fronteiras com os países vizinhos. Isso ocorre com a prioridade de fortalecer as conexões com os respectivos portos litorâneos, facilitar o comércio transfronteiriço e impulsionar a economia real em Angola, conforme afirmou o ministro dos Transportes angolano, Ricardo Viegas D’Abreu. Este projeto representa um marco significativo no desenvolvimento infraestrutural do país e promete impulsionar setores chave da economia angolana.