João Lourenço é criticado por não citar JES na inauguração do Novo Aeroporto Internacional de Luanda. “É um tentativa clara de apagar JES da história de Angola e do MPLA”

Avatar By Redacao Nov 11, 2023
Jeiel de FreitasJeiel de FreitasJeiel de Freitas

O Novo Aeroporto Internacional de Luanda foi inaugurado na passada sexta-feira, 09/10, no município de Icolo e Bengo, em Luanda, em homenagem ao Dr. António Agostinho Neto. Esta inauguração foi liderada pelo Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, que, segundo Jeiel de Freitas, activista e analista político, a considerou um “teatro político” com o envolvimento do CIVICOP liderado pelo presidente de Angola.

João Lourenço inaugura o novo aeroporto

“Depois de José Eduardo dos Santos, que em 2007 idealizou e lançou a primeira pedra, nem ter sido mencionado na inauguração do Novo Aeroporto Internacional de Luanda (NAIL), fica cada vez mais claro que a criação do CIVICOP nada mais é do que um mero “teatro” político do Presidente João Lourenço”, afirmou.

Disse Jeiel de Freitas ao Hold On Angola, que o Novo Aeroporto Internacional de Luanda é um projecto de mentoria de José Eduardos Dos Santos. Desde 1997, o ex-presidente definiu que deveria haver um novo aeroporto em Luanda, e em 2007 lançou finalmente a primeira pedra deste projecto. E ontem, na inauguração, o seu nome nem foi mencionado, lembrou-nos algumas práticas que o Presidente João Lourenço repetidamente, durante o seu mandato, evita mencionar o antigo presidente, que, embora oficialmente não assuma que é um tentativa clara de apagar JES da história de Angola e do próprio partido, mas na prática João Lourenço tem feito.

“Alias, quando João Lourenço tomou posse, vimos que ele ordenou quase a “retirada das fotografias” de JES dos seus gabinetes. A maioria dos gabinetes oficiais dos dirigentes de Angola tinham fotos de Agostinho Neto e de João Lourenço, já não havia fotos do ex-presidente até que ele usou um facto histórico para diminuir a importância de JES no cenário político angolano e na história do próprio partido, ao referir que JES não foi o segundo presidente do MPLA.”

Ainda sobre a clara tentativa de apagar JES da história de Angola, Jeiel de Freita afirma que a posição da TPA no passado não é em vão quando JES regressou a Angola, depois de vários anos asilado em Espanha, que durante o seu regresso, ainda em vida, não houve cobertura jornalística, ao contrário da morte em que tudo foi monitorizado e houve preocupação de se realizar o funeral do ex-presidente em Angola, mas não descartou as diversas denúncias sobre o abandono e estratificação do corpo.

Esquecimento de JES na inauguração do Novo Aeroporto Internacional de Luanda

Para Jeiel de Freitas, este tipo de comportamento é uma doutrina nos partidos comunistas, no caso do MPLA, embora estes assumam que o avanço da democracia não pode ser falada abertamente, uma ideologia abraçada por muitos líderes africanos que não se pode ser governar a sombra do seu antecessor, a menos que estejam alinhados.

De referir que o Novo Aeroporto Internacional Dr. António Agostinho Neto, que tem capacidade para movimentar 15 milhões de passageiros por ano, abre numa primeira fase com operações de carga, seguindo a lógica gradual.

Ouça a entrevista completa no vídeo abaixo: