João Lourenço retira filha dos negócios familiares

Avatar By Redacao Ago 15, 2023
João Manuel Gonçalves Lourenço decidiu retomar o processo de retirada de certos negócios privados em nome de sua filha, Jéssica Lorena Dias Lourenço dos Santos, transferindo-os para uma entidade privada cuja gestão é acompanhada por um “testa de ferro”, Antônio Manuel Gonçalves.
No passado dia 6 de agosto, o governador provincial do Cuanza Sul, Job Pedro Castelo Capapinha, foi surpreendido por uma chamada telefônica da Primeira-Dama, Ana Afonso Dias Lourenço, que em nome do esposo, baixou instruções para a transferência do direito de superfície de uma das fazendas da família presidencial, localizada no município de Quilenda, em nome da filha Jéssica Lorena Dias Lourenço dos Santos. A orientação de Ana Dias Lourenço foi para que o direito de superfície (processo de concessão 96 – CS/2017) fosse transferido para a sociedade Matogrosso – Empreendimentos, Limitada.
Com sede no oitavo andar das luxuosas Torres Elysee, em Luanda, a Matogrosso – Empreendimentos, Limitada, é um grupo empresarial constituído em 20 de janeiro de 2014, com o propósito de controlar algumas fazendas da família Lourenço. Inicialmente, o grupo era formalmente controlado em 80% por Jéssica Lorena Dias Lourenço, enquanto a outra parte era detida por uma tia, Custodia da Encarnação Dias dos Santos, que também participa em outros negócios relacionados a família presidencial, como a JALC – Consultores e Prestação de Serviços, que faz parte da estrutura acionista da Companhia de Cerveja de Angola (fábrica construída na província do Bengo).
Em 27 de agosto de 2016, Jéssica Lorena Dias Lourenço, agora usando o sobrenome “Santos”, casou-se em regime de comunhão de adquiridos com o angolano Lucio Marino Eduardo dos Santos, em Luanda. Segundo fontes do Club-K, o casal presidencial percebeu os riscos de manter certos negócios familiares em nome de Jessica dos Lourenço Santos, devido à sua condição de casada. Em maio do ano seguinte, poucos meses antes de João Lourenço se tornar Presidente de Angola, as participações de Jéssica no grupo Matogrosso – Empreendimentos, Limitada, foram transferidas para seus irmãos Henrique Manuel Pires Lourenço “Iko”, Ana Isabel Dias Lourenço e Cristina Giovanna Dias Lourenço.
Foi também nesse ano, em 8 de junho de 2017, que o então governador do Cuanza Sul, Eusebio de Brito Teixeira, assinou o contrato de concessão a favor de Jessica Lourenço. A referida área, com uma extensão de 440 hectares ((Equivalente a 400 campos de futebol)), situa-se na região do Lala, na comuna-sede de Quilenda, confrontando-se ao norte com o rio Nhia e ao sul com a estrada que liga Dala Cachibo.
A recente instrução ao governador Job Capapinha para auxiliar na transferência do direito de superfície para a Matogrosso – Empreendimentos, Limitada, decorre de medidas tomadas antes de João Lourenço assumir o poder, quando decidiu retirar alguns dos seus empreendimentos legalizados em nome de seus filhos para outras entidades.
De acordo com fontes consultadas, a abordagem utilizada pela família presidencial ao confiar essa tarefa de transferência do nome do direito de superfície ao governador Job Capapinha está a ser vista como um acto com características de tráfico de influência.
“Se tivessem consultado um advogado, teriam sido informados de que, para esse procedimento, a proprietária Jessica Lourenço deveria pessoalmente apresentar um documento de tramitação”, disse uma fonte da condição de anonimato esclarecendo que “um pedido adequado confirmando a transferência para a empresa Mato Grosso, reconhecido por um notário, deveria ter sido preparado, em vez de se fazer uma ligação telefônica instruindo o governador provincial”.
Para além da fazenda Mato Grosso, na comuna de Quilenda, em nome de Jessica Lourenço dos Santos, a família presidencial detém, nesta mesma zona, outra fazenda chamada “Metro Europa”, legalizada em nome de Cristina Giovanna Dias Lourenço. Com uma dimensão territorial de 8 mil hectares, a fazenda “Metro Europa” é a maior de todas. A família presidencial está em vias de retirar a mesma do nome de Cristina, passando-a para o grupo Mato Grosso.
A gestão do grupo Mato Grosso, que administra as fazendas, é liderada por Antônio Manuel Gonçalves, um cidadão angolano nascido na província do Cuanza-Norte. A gestão técnica é exercida por uma engenheira agrônoma, Claudia Caseira, ligada à família presidencial. Ck