Candidato a bolsa em Industrias de Construção de Máquinas vê vaga por um fio por falta de 600 mil kuanzas

Avatar By Redacao Ago 4, 2023


Chama-se Gineraldo Paulo Adão, tem 23 anos e é apaixonado pelos estudos. Concluiu o Ensino Médio com mérito, alcançando a Classificação Final de 18 valores, em Metalomecânica, no Instituto Médio Politécnico de Chiazi na cidade de Cabinda no ano de 2017.

De lá pra cá continua focado no sonho de dar seguimento a formação, o que lhe levou a bater múltiplas portas até que finalmente saiu-lhe a “sorte grande” ao ser selecionado para ingressar na Kuban State Technological University KubSTU (Universidade Estadual Tecnológica de Kuban-KubSTU) na Rússia. Todavia, a bolsa não cobre o total de custos, devendo de seu próprio bolso pagar os custos de viagem e seguro de saúde.
Em nota, a instituição universitária da Federação da Rússia, informa ao candidato que “foi seleccionado” mas, de acordo com a necessidade de ensino da língua russa por ele indicada no formulário de inscrição, deve passar no ano académico 2023/2024 na “faculdade preparatória” da instituição e só depois de concluir seus estudos na mesma “continuará (…) no ano académico 2024/25 no principal programa educacional profissional Bacharelado na Kuban State Technological University”.
“Sua direcção para estudar na Faculdade Preparatória foi carregada no Sistema. Ela está disponível na conta pessoal da organização educacional à qual foi encaminhado. Para se inscrever no treinamento, entre em contacto”, escreve a KubSTU na nota encaminhada ao candidato.
O jovem estudante angolano, actualmente a residir na cidade de Moçâmedes, capital da província do Namibe, está inscrito em “Projecto e Suporte Tecnológico de Industrias de Construção de Máquinas” e quase desespera, por não ter capacidade financeira e nem apoio que lhe permita a compra do bilhete de passagem e algum dinheiro no bolso para seguir viagem rumo a Rússia em busca da oportunidade para dar seguimento ao sonho e revela: cerca de um milhão de kuanzas é o suficiente.
“Apelo à generosidade e bondade de vocês para contribuírem com o que puderem para a minha passagem de avião. Ser um estudante internacional tem sido meu sonho desde os meus 15 anos, e espero impactar positivamente minha família, a sociedade e, um dia, ajudar o país a crescer no sector industrial”, escreve Gineraldo Paulo Adão, em uma nota trazida à estampa pela página no Facebook ‘JORNAL DE CABINDA’.
O estudante disponibiliza contactos e coordenadas bancárias, na esperança de que alguma alma caridosa ou mecenas venha em socorro à sua causa. Diz estar a contar com apoio de antigos colegas no ensino médio e que já se encontram na Rússia a frequentar estudos universitários em várias instituições daquela nação. “Os meus antigos colegas estão solidários e já fizeram uma ‘vaquinha’ e estão ansiosos por me receber, pelo que acredito que Deus vai tocar o coração de alguém e este sonho vai tornar-se realidade”, afirma.
Bate portas dia e noite. Já esteve com entidades do Governo da Província do Namibe, mas a resposta positiva tarda. Agora resta-lhe as Redes Sociais para tentar tocar o coração de alguém nesta vasta Angola necessitada de quadros para a sua construção. Opais