Última hora: O activista “Tanaice Neutro” já está em liberdade

Avatar By Redacao Jun 23, 2023


Passados ​​2 anos e 3 meses, depois de ter estado em prisão preventiva durante cerca de seis meses, contrariando a lei que estabelece um período até 90 dias, foi injustamente acusado de vários crimes, tendo três dos crimes sido entretanto arquivados como infundado em Outubro de 2022, o Juiz determinou que Tanaice deveria cumprir pena de prisão suspensa de 15 meses e, devido ao seu estado de saúde, ordenou sua libertação imediata, mas não havia sido libertado.
Hoje (23), sexta-feira, o ativista Simão Cativa através das redes sociais, confirmou que, Gilson da Silva Moreira “Tanaice Neutro”, que estava preso desde 13 de janeiro de 2021, já está em liberdade e está no seio da família.
“Finalmente o nosso irmão já se encontra em casa, seja bem vindo ao seio da família, que Deus seja louvado” escreveu.
A esposa de Tanaice Neutro, Teresa Moreira, que confirmou o estado de saúde precário do activista.
“O estado dele continua na mesma e ate agora não entendemos porque é que ele não é liberto”, disse (VOA).
Dias antes da soltura
O Tribunal de Relação feichou o processo e apresentou-o aos familiares e advogados. A informação foi prestada a familiares de Tanaice Neutro – Simão Cativa e Teresa, esposa de Tanaice, deslocaram-se aos Serviços Prisionais Gerais, onde foram libertadas.  
A secretaria informou que a soltura já estava há um mês no aguardo. O Vice-Ministro do Mistério Interior estaria envolvido no processo. Outro que não quis ser identificado, que se presume ser o director dos serviços prisionais nacionais. 
Os presentes foram informados de que não podiam dar o despacho, por falta de autorização do seu ministro, Laborinho, disse Simão Cativa.  
Recorde-se que os familiares do activista angolano Gilson da Silva Moreira “Tanaice Neutro” revelaram esta semana ao Club-K que a libertação do também músico foi bloqueada pelo ministro do Interior, Eugénio César Laborinho, que será condicional em um pedido de perdão ao Presidente da República, ainda que houvesse despacho de soltura datado de 18 de maio de 2023.