“Se alguém quer saber sobre Angola, não perguntem ao JLO. Perguntem ao ACJ, este é o PR legítimo de todos os angolanos. Ele conhece Angola!” – Ndinga de Deus

Avatar By Redacao Mai 7, 2023
Ndinga de Deus é um defensor dos direitos humanos, apaixonado pela ciência, religião e política, foi obrigado a deixar Angola por sentir que a sua vida corria perigo, e em entrevista ao Hold On Angola falou da legitimidade do actual governo liderado pelo PR João Manuel Gonçalves Lourenço e da maturação dos jovens angolanos cada vez mais envolvidos na política, destacando o PR da UNITA, Adalberto Costa Júnior como a voz máxima para falar de Angola.
“Se alguém quer saber sobre Angola, não perguntem ao JLO. Perguntem ao ACJ, este é o presidente legítimo de todos os angolanos. Ele conhece Angola!”, afirmou.

H.A: Quem é o Ndinga de Deus?
Ndinga de Deus: Olha, sou angolano, que ama e luta por Angola!
Sou defensor dos direitos humanos, praticante e apaixonado pela ciência, religião e política.
H.A: Hoje, qual é a sua opinião sobre Angola?
Ndinga de Deus: Angola é um belo país, governado pelo um mau Partido e péssimo Presidente.
H.A: Mas, o Presidente João Lourenço, afirmou que o país está bom!
Ndinga de Deus: Quem é o João Lourenço, para falar sobre Angola e em nome dos angolanos? Ele não tem legitimidade, o povo não lhe escolheu.
Até os Deputados do MPLA, essa maioria que constituí a sua bancada parlamentar não têm a procuração do povo, são ilegítimos.
O povo concede a “procuração aos seus advogados” por liberdade expressiva pelas urnas na via eleitoral. Eles não foram escolhidos pelo povo. Foram carregados no colo da CNE.
H.A: Quem pode falar por Angola e pelos angolanos?
Ndinga de Deus: Se alguém quer saber sobre Angola e os angolanos, deve perguntar ao Presidente Adalberto da Costa Júnior, ele é o Presidente eleito pelo povo em sufrágio universal. Ele, conhece Angola e a vontade dos angolanos. É único Presidente que, percorreu Angola toda de carro e convive com povo. Este sim, tem a nossa “procuração” pode ser Advogado do povo!
H.A: Hoje, muitos jovens tais como Gangsta, Isidro, Cláudio In, Timóteo Miranda, até você, estão abandonar o país, não acha isso errado em termos de lutar pelo país?
Ndinga de Deus: Não! Acho uma negligência permanecer no país e perderem as suas vidas dentro do país.
Não é errado estar fora do país e lutar pelo país. O maior erro seria, estar fora do país e não lutar pelo teu país. Isso, é COVARDIA!
H.A: Como caracteriza a juventude angolana hoje?
Ndinga de Deus: A juventude angolana, atingiu a fase da maturidade política, tornamos muito esperto com a esperteza de quem pensava que poderia nos enganar a vida toda com as promessas vazias e propagandas enganosas. A juventude está disposta e qualificada para derrubar o MPLA!
H.A: Ouvimos, sobre o assassinato do Secretario da vossa organização, o jovem Manuel, fala-se de uma morte encomendada, tens informação sobre o assassino?
Ndinga de Deus: Não será divulgado o assassino. Quem matou é o próprio SIC. Olha, vou te confessar algo: 5 ou 4 dias antes do seu assassinato, houve presença de 3 Senhores um deles, se identificou sendo como agente do SIC, vinham solicitar digitar um documento, depois faziam perguntas sobre a nossa organização e procuravam saber sobre mim (presidente) e depois passaram a frequentar o local, e exortavam outros jovens que estavam no local a não aderirem manifestação chefiada pelo GANGSTA, na qual faço parte da administração dos projetos e o Manuel, sempre partilhava e era uma peça fundamental na sensibilização dos jovens . É algo muito estranho. Um destes senhores foi visto com amigo do Manuel, alguns minutos antes da sua morte. Estes atos fazem parte do programa do MPLA, materializado pelo SIC, é uma morte orquestrada. Hoje, nós jovens críticos somos perseguidos dentro e fora do país, a verdadeira intenção é calar as vozes críticas contra o regime ditatorial. É triste ser angolano e não conseguir viver em paz no seu próprio país.
H.A: É muito muito grave e triste ao mesmo tempo. Ok, chegamos no fim, quais são as considerações finais?
Ndinga de Deus: Agradeço a oportunidade e aproveito apelar a união ao povo angolano. Vamos unir as forças para derrubar o regime ditatorial do MPLA com o João Lourenço!
Ninguém merece tê-los, como Governo!