SINPROF critica atraso salarial que já dura há 15 dias e ameaça retomar greve caso MED não avance com aumento de 12%

Avatar By Redacao Abr 11, 2023


O Sindicato Nacional dos Professores (SINPROF) está preocupado com o atraso salarial da maioria dos professores do ensino geral, que já dura há 15 dias, sem qualquer explicação do dos ministérios da Educação (MED) e das Finanças (MINFIN). Os professores queixam-se de serem os únicos da Função Pública que até agora não receberam os ordenados do mês de Março.
O SINPROF assegura também que há muitos professores em diversas zonas do País que não receberam até ao momento os salários do mês de Fevereiro e dizem que este é o segundo atraso em menos de dois meses.
A tutela, neste caso o Ministério da Educação, segundo apurou o Novo Jornal, nada diz sobre o assunto e remeteu-se ao silêncio.
O Sindicato Nacional dos Professores lamenta e assegura que tentou, sem êxito, obter explicações sobre os atrasos salariais dos professores, que já duram há 15 adias.
“Infelizmente o Ministério da Educação não nos conseguiu dar resposta! O MED deveria pelo menos fazer o seu papel de interagir com o Ministério das Finanças e dizer-nos alguma coisa, infelizmente o MED nem sequer faz isso”, lamentou ao Novo Jornal esta segunda-feira, 10, Edmar Jinguma, secretário-geral do SINPROF.
Segundo Edmar Jinguma, o que frusta os professores agora é o facto de o salário ser baixo e ainda atrasar.
“É o segundo mês consecutivo, houve também atraso no mês de Fevereiro, e isto cria embaraços de diversas formas na vida dos professores”, contou.
Conforme o secretário-geral do SINPROF, há províncias em que até agora não foram pagos os salários do mês de Fevereiro.
Entretanto, o Novo Jornal soube junto do SINPROF que apenas alguns professores veiculados às direcções provinciais da educação é que receberam os seus ordenados.
“Apenas estes, que são poucos, pois os professores, na sua maioria a nível nacional, ainda não receberam os salários do mês passado. E nesta altura já devíamos saber o que se passa”, lamentou.
O sector da Educação, a nível da função pública, é o que ainda não pagou o salário referente ao mês de Março, as demais instituições públicas tiveram os seus ordenados pagos a partir do dia 22 de Março.
Habitualmente, o sector da educação paga aos seus trabalhadores entre os dias 22 e 25 de cada mês.
SINPROF dá ultimato ao Executivo e fala em greve no final do próximo mês
Em declarações ao Novo Jornal esta segunda-feira, 10, Edmar Jinguma, secretário-geral do SINPROF, disse que o MED não cumpriu até agora a implementação do aumento salarial na ordem dos 12% que deveria começar a ser pago a partir do mês de Fevereiro último, dando uma moratória para que o Ministério da Educação e os outros órgãos envolvidos resolvam até ao mês de Maio esta situação.
Findo este prazo, e caso não vejam este aumento reflectido nos seus ordenados, com os meses em atraso pagos, os professores em todo o País vão partir para a greve.
“Isto é um facto. Continuamos a aguardar pacientemente pelo aumento dos 12% desde o final de Fevereiro. Senão for esse o entendimento do MED vamos avançar para a greve” alertou o secretário-geral do SINPROF.
A propósito do atraso salarial e sobre a implantação do aumento dos 12%, o Novo Jornal tentou ouvir o Ministério da Educação, mas sem sucesso.
Fonte: Novo Jornal