Tomás Bica recebeu mais de 16 mil milhões de kwanzas do PIIM para município de Cazenga

Avatar By Redacao Jan 11, 2023
O município do Cazenga teve um orçamento global de 16 mil milhões e 489 milhões e 723 mil kwanzas para desenvolver o Programa Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM). O valor, segundo o administrador municipal, Tomás Bica, que falava na abertura da 29ª edição das Festa Populares do município, foi alocado em 26 projectos, 16 dos quais já concluídos.

A 29ª edição das Festas Populares do Cazenga (FESPOC-2023) está a ser celebrada também com a feira de negócios e oportunidades. Ao fazer a abertura do evento, o administrador municipal, Tomás Bica falou das acções desenvolvidas, no ano passado, e dos novos desafios para o município.
No âmbito do Programa Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) tiveram um orçamento global de 16 mil milhões e 489 milhões e 723 mil para desenvolver 26 projectos, dos quais um está suspenso, igual número paralisado, 16 concluídos e oito em curso.
Destaca a reabilitação de quatro vias estruturantes, nomeadamente a rua do Porto Santo, 7ª Avenida, Terra Vermelha e a rua das Condutas, tendo assegurado que, quando concluídas, as referidas vias permitirão maior mobilidade de bens e serviços, tornando assim o Cazenga numa placa gira- tória da província de Luanda, dada a localização geográfica.
No domínio da Saúde, o administrador explicou que a rede sanitária do seu município confere uma capacidade de internamento de 601 camas, das quais 310 estão no hospital dos Cajueiros, tida como a unidade de referência, apoiada por duas unidades sanitárias, nove centros e três postos saúde.
Mais de três mil casos de malária atendidos em três dias
Ainda neste sector foi implementado um conjunto de estratégias que vão desde a melhoria no abas- tecimento de medicamentos, sobretudo nos postos e centros de saúde, para se evitar a pressão assistencial a nível dos grandes hospitais.
Isto permitiu que, nas primeiras semanas do ano em curso, fossem atendidos, em três dias, um universo de três mil e 798 casos de malária, dos quais 74% foram assistidos pelos postos e centros de saúde e 26% por hospitais da circunscrição.
Tomás Bica disse que esta estratégia em curso está associada à construção de uma unidade sanitária moderna, o Centro de Saúde do Asa Branca, que vai atender 440 mil e 594 munícipes, em cuidados primários de saúde, em conjunto com as outras unidades já existentes.
Cazenga prevê desenvolver 45 projectos este ano
O administrador municipal afirmou que muitas das acções a que se propuseram realizar estão em curso, com realce para 45 projectos estruturantes inscritos no Programa de Investimentos Públicos, proposto no Orçamento Geral do Estado 2023.
No domínio das vias de comunicação, apontou a reabilitação da 4ª e 6a Avenida, no distrito urbano do Cazenga, antiga rua do Dande, no Hoji Ya Henda, a rua da Nossa Senhora de Fátima, a rua do Observatório da Mulemba e a rua da Olímpia e Incubação, bem como a rua da Combal e das
Bananeiras, no Kalawenda.
Já estão concluídas a Avenida Hoji Ya Henda, no distrito urbano com o mesmo nome, as infraestruturas integradas no que concerne à iluminação pública, sistema de drenagem, água potável e passeios.
De acordo com o administrador municipal do Cazenga, para o presente ano pretendem construir e apetrechar as sedes das administrações dos distritos urbanos, o posto policial no bairro dos Ossos e a quadra polidesportiva no Hoji Ya Henda, bem como reabilitar o Cine Cazenga e a escola 3014.
A Bacia da BCA, no Tala Hady, a Bacia Catumbela, no 11 de Novembro, e e a Bacia dos Picos, no Kala- wenda, receberão obras.
No âmbito da transparência e governação participativa, ficou o compromisso de realizarem trimestralmente, a partir de 2023, o fórum municipal de prestação de contas, onde os munícipes do Cazenga terão conhecimento de como estão a ser aplicados os recursos financeiros públicos disponibilizados para o município.
“Associada a esta estratégia está em curso a construção de uma unidade sanitária moderna, o centro de saúde do Asa Branca, que vai atender 440 mil e 594 munícipes, em cuidados primários de saúde, em conjunto com as outras unidades já existentes. OPAÍS