Músico Justino Handanga tranquiliza fãs

Avatar By Redacao Dez 28, 2022
O músico Justino Handanga acalmou, esta quarta-feira, os ânimos dos fãs e amigos, face as notícias falsas que circulam nas plataformas digitais sobre a sua suposta morte.

Num vídeo posto a circular nas redes sociais, o autor de “Paulina” agradece a todas as pessoas que estiveram envolvidas no seu tratamento médico, em especial o Presidente da República, João Lourenço, a Casa Militar, ao Ministério do Interior e ao Governo Provincial do Huambo.
O músico, que se encontra em tratamento na Clínica Multiperfil, em Luanda, diz ser graças ao apoio de todos que “hoje, 28 de Dezembro, se levanta da cama e a recuperar muito bem”.
“Olá, eu sou o Justino Handanga e falo para todos os meus fãs, hoje 28 de Dezembro, quarta-feira, para desejar um ano novo cheio de prosperidade (…). Conto convosco, pois eu amo a todos vocês e a todas àquelas pessoas que gostam da minha música e não só, contem comigo e estamos juntos”, rematou o músico.
Justino Handanga, um nome que dispensa apresentações no panorama musical nacional, com um vasto repertório e vários sucessos, nasceu a 1 de Janeiro de 1969, na aldeia de Ndoluka, comuna da Luvemba, município do Bailundo, província do Huambo.
Possui dois discos no mercado musical, sendo o primeiro “Ondjonguele Ya Telisiwã (Alvo Atingido) ”, lançado em 2004 e o segundo “ Homenagem ao empresário Valentim Amões”, lançado em 2011.
Participou, em 2005, da 15ª edição do Top dos Mais Queridos da Rádio Nacional de Angola, ficando em 3° lugar, com a conhecida música “Paulina” e, em 2006, ficou em 5° lugar, partilhando o mesmo palco com o saudoso músico Bangão.
Justino Handanga, músico do estilo popular, iniciou a carreira musical na década de 80, após ter perdido os seus progenitores, aos cinco anos, com a participação no concurso denominado “Pio-Pio”, realizado aos domingos, pela Organização dd Pioneiros Agostinho Neto (OPA), no município do Bailundo, onde imitava músicos nacionais e internacionais.
Aos 17 anos, Justino Handanga, um dos pesos-pesados do cancioneiro nacional, ingressou nas ex-FAPLA, e fez parte de um grupo musical da corporação, denominado “Pela Paz”.
O autor dos sucessos como “Ndumbalundo”, “Olonamba”, “Tenho saudades”, “Paulina”, “Carlito” e “Abílio”, ingressou nas fileiras da Polícia Nacional de Angola no dia 10 de Outubro de 1992, após cumprir o serviço obrigatório nas Forças Armadas Populares de Libertação de Angola.
Fonte: Angop