25 anos de cadeia — Tribunal condena mulher matou e esquartejou o cunhado na “Vida Pacífica”

Avatar By Redacao Dez 19, 2022
Irene de Matos e Silva, também conhecida por “Ira”, de 30 anos de idade, foi condenada nesta quinta-feira, 15, a 25 anos de prisão por cometer um crime de homicídio qualificado, de que foi vítima o jovem que atendia pelo nome de Fernando Luanda Francisco (Yuda), de 27 anos, no apartamento 503, prédio 1, zona 3, bloco 3, na Vida Pacífica, no município de Viana, Distrito do Zango, no dia 25 de Fevereiro de 2021.

Ao todo, Irene Silva foi acusada de dois crimes: um por homicídio qualificado, onde ficou condenada a 24 anos, e outro por sequestro em que foi condenada a 1 ano, arredondando em 25 anos de prisão maior, previstos e punidos pelo artigo 174 nº1 do Código Penal Angolano.
Ela deve indemnizar os familiares em dois milhões de Kwanzas e obrigada a pagar uma taxa de Justiça de 50 mil Kwanzas mais 10 mil para o Advogado Oficioso .
Analisado o processo nº 271 letra C/2022, o Magistrado Público junto da 10a Secção da Sala dos Crimes Comuns do Tribunal de Comarca de Luanda, em Viana, Nelson Cabangage, absolveu Arnaldo Fernando Macongo Francisco, do crime de homicídio qualificado.
De acordo a acusação, o malogrado faleceu por asfixia mecânica resultante da oclusão dos orifícios respiratórios, provocando sufocação, sendo que a amputação das pernas aconteceu depois de morto, tendo havido manipulação do pescoço.
45 dos 48 quesitos foram aprovados.
Ficou provado, que os arguidos tiveram uma relação amorosa por cerca de cinco anos, em que Arnaldo, fez várias transferências monetárias para a sua amada Irene.
Ficou ainda provado que Irene criou um plano para se vingar de seu cunhado Fernando Luanda Francisco (Yuda), irmão de Arnaldo, e para atrai—lo criou um novo perfil no Facebook, com o personagem de Junice e passou a interagir com Yuda sem que este desse conta que se tratava de Irene Silva, namorada do seu irmão.
No entanto, na tarde do dia 25 de Fevereiro de 2021, Irene agendou um encontro com Yuda, no referido apartamento na Vida Pacífica.
Fonte: Na Mira Crime