FAMILIARES SE RECUSAM A ENTERRAR O JOVEM QUE FOI BALEADO PELA POLÍCIA NA VIA EXPRESSA DO BAIRRO MUTAMBA SEM QUE A POLÍCIA LIBERTE OS 5 DETIDOS

Avatar By Redacao Jan 29, 2022

O malogrado respondia pelo nome de Francisco Vita formado em construção civil. E por falta de emprego na sua área de formação encontrou oportunidade no trabalho de táxi onde ocupava a função de gerente de um Toyota-HiAce vulgo quadradinho.
Os familiares avançaram que o malogrado não era motoqueiro e não sabia conduzir motorizada, contrário daquilo que polícia relatou no seu comunicado.
“Tudo aconteceu no domingo pelas 17h, vínhamos de uma festa, ele estava a ser levado para casa, e no percorrer do percurso aparece um motoqueiro que panca na sua perna e em seguida o mesmo motoqueiro ao invés de se desculpar chama o agente da polícia de nome Carlos Leão Que chegou totalmente arrogante sem saber o sucedido bate no peito do malogrado e fez três tiros no chão e depois lhe puxou e naquela de lhe levar na esquadra fez outro disparo que atingiu a parte da orelha direita e safou na parte superior da cabeça
Ele fez tiro direito e devido a pressão a bala saiu pela cabeça, não bateu em betão nenhuma conforme o porta voz disse nos órgãos de comunicação social” disse o irmão.
O agente da polícia não foi agredido e nem houve tempo para tal, o mesmo agente neste caso Carlos Leão, simulou que também foi atingido pela mesma bala e ficou estendido no chão e levantou-se quando viu os outros companheiros da corporação.

“NÓS NÃO VAMOS ENTERRAR SEM ANTES A POLICIA SOLTAR OS 5 FAMILIARES DETIDOS”

Os familiares, prometem não enterrar sem a polícia soltar os membros e vizinhos da família que continuam detidos e que têm sido alvos de muitos maltratos na sela por onde se encontram.”Estamos a ser ameaçados e pressionados para realizar o funeral para abafar o caso
Mais nós, não vamos aceitar isso”.
“Nenhum de nós criou arruaça nós só estávamos a exigir justiça quem criou arruaça foi o polícia que matou o meu irmão e continua solto e protegido pelo porta voz”.
“Caso libertarem os nossos familiares, nós Vamos anunciar o funeral caso contrário negativo” garantiu o pai do malogrado com lágrimas de luto.

A POLICIA ESTÁ A ASSUMIR?

“Meu filho, a polícia deu dois sacos de arroz, cinco saco de fubá, um saco de feijão, dose litros de óleo, uma caixa de coxa, um saquinho de batata doce, um saco de mandioca, três baldinhos de tomate semi maduro, dois baldinhos de cebola, cinco grades de gasosa e dez embalagens de água. Para nós isso não trará de volta o meu filho. Exigimos que a justiça seja feita e que o agente Carlos Leão pague pela vida do meu filho e libertem os 5 detidos para agente agendar o funeral”.
Na mesma ocasião, tentamos falar com a Noiva do malogrado, ela não conseguia se quer conter as lágrimas.
No pouco que se ouvia;
Eu só quero olhar na cara do polícia que matou o meu noivo, nos tínhamos um plano, nós tínhamos plano de casar este ano, assim como fica? Questionou
Eu estou grávida de 1 mês e alguns dias quem me vai ajudar a criar esta criança?
É justo o meu filho nascer sem conhecer o pai?
O meu noivo nunca foi de confusão, foi o homem honesto, trabalhador e dedicado a família 
Será que ser polícia significa ter liberdade de matar qualquer cidadão?
Foram as palavras de angústia da Bibiana Manuel de 25 anos noiva do Francisco Vita Monteiro morto brutalmente pela polícia.
A título de recomendação, exigimos a polícia nacional, assumir o erro e que aceitem as exigências da família.
Reconhecer o erro de um agente, não reduzirá PNA, pelo contrário demonstrará maturidade e compromisso com a sociedade e acima de tudo para com cidadão que rezão defender. Vidas humanas importam, depois de 20 anos de paz era suposto não morrer ninguém a tiro.
Vamos todos partilhar até chegar ao novo comandante.
Fonte: Activista Águia Real 

Fique ligado no HOLD ON ANGOLA, siga a nossa página do Facebook? Hold On Angola e o nosso canal do Youtube? Hold On Angola